Cosmética Natural

Amaciador de Camomila {Diy}

quarta-feira, agosto 31, 2016


Assim que voltei a usar o champô sólido da Denise dos Filhos da Terra, ela aconselhou-me usar vinagre como amaciador. Eu torci o nariz à experiência. Será que não ficava a cheirar a vinagre? Não ficaria oleoso? Não ficaria mais sujo? Pesquisei na internet e só lia coisas boas. Decidi que ia experimentar (e rezei para que o cabelo não caísse!). Assim que ousei dar esse passo, fiquei rendida à primeira utilização. Nesta altura já devem ter percebido que o meu novo amaciador não é nada mais, nada menos, que feito à base de vinagre de cidra. Não, não digam logo "que horror!" porque vão-se arrepender. 

O cheiro não fica no cabelo (apenas na casa de banho - e por pouco tempo), o cabelo fica fofinho como uma nuvem e realmente lavado! Podem usar de duas formas: 1) Lavar apenas com vinagre de cidra, depois de usar o champô, e enxaguar. Ou 2) Fazer esta mistura com camomila, usar depois do champô mas não enxaguar e deixar o cabelos secar ao sol.

Neste tempo de calor acabei por usar esta mistura para realçar as minhas madeixas loiras (naturais, não sei se funciona com tintas de cabelo). E é bastante simples: 3 colheres de sopa de camomila em 100ml de água a ferver durante 15 minutos. Filtrar e adicionar o vinagre de cidra, mexer bem, guardar num recipiente e usar nas pontas do cabelo - como um amaciador normal. O meu cabelo ficou mais claro e uso este amaciador sempre que lavo o cabelo (2 a 3x por semana). Gostei do efeito, da textura e a questão do cheiro... adaptei-me facilmente! Quem por aqui também usa vinagre como amaciador? E quem vai experimentar?

Um xi- sem crueldade, biológico, 
100% biodegradavel e só com produtos naturais, 
Mariana.

Chá

Plano: Detox Me {English Tea Shop}

segunda-feira, agosto 08, 2016

Não sei quanto a vocês, mas quando vou de férias não ligo a dietas. Vou assumir: no primeiro dia eu ainda tento "controlar-me", mas passar em novas terras com novos doces é o descalabro de uns dias saudáveis. Ontem cheguei a casa de uns bons dias cheios de doces típicos, gelados e piqueniques lindos que de saudáveis não tinham nada. Resultado: barriga inchada e mil culpas no cartório. Como não podia voltar atrás no tempo (e a verdade é que nem queria) resolvi "portar-me" bem esta semana. E lembrei-me de usar o chá Detox Me da English Tea Shop como aliado. 



Devo-vos dizer que os chás da English Tea Shop estão a subir rapidamente para os meus chás de topo. Subitamente encontrei numa marca de chás aquilo que procurava: qualidade e responsabilidade eco-social. É verdade, os chás desta marca para além de serem certificados de agricultura biológica (o que é fantástico! Às vezes esquece-mo-nos que os chás são plantas e que se não forem biológicos estão cheios de químicos como tantas outras coisas) são também de Comércio Justo. Os sabores são fantásticos, como meu favorito para já está o chá branco com mirtilos e sabugueiro. (Só porque a minha paixão por chá branco é algo de arrebatador).

Este chá que vos trago hoje, direccionado para o detox, está cheio de plantas maravilhosas que realmente nos ajudam a "limpar" suavemente o nosso organismo. Sendo elas: hortelã, feno-grego, alecrim, sementes de funcho, alcaçuz, calêndula, cascas de limão, menta, açafrão e sabugueiro. Para já faço-o e deixo-o gelar e é tão fresquinho, tão cheio de sabor, que bebe-lo não é de todo um sacrifício (como é que beber chá pode ser um sacrifício?!). 


Tenho que agradecer à Imporchá por me ter contactado e me ter cedido gentilmente estes chás para experimentar. A Imporchá é a empresa portuguesa responsavel pela distribuição desta marca. Se a quiserem contactar, podem fazê-lo através do facebook.

Um xi- bem fresquinho, 
Mariana.

Cosmética Natural

Novas Aquisições #5 {In my way to the green beauty}

sexta-feira, agosto 05, 2016

Quantos mais passos percorro por uma vida mais sustentável, biológica e livre de crueldade, mais depressa me apercebo que encontrar cosméticos adequados é bem menos difícil do que a ideia que eu tinha... Às vezes tudo o que basta é força de vontade, o conhecimento e claro: as partilhas certas. 

Se nunca ouviste falar da minha rubrica "In my Way to The Green Beauty" lê aqui o que andei a fazer para ter artigos de higiene mais ecológicos e sustentáveis. Desta vez trago-vos as últimas coisas que comprei para esta aventura e que ainda não tinha partilhado com vocês. 


1) Discos de Algodão Desmaquilhantes ~  À medida que ia evoluindo neste caminho, estava em ter dificuldades em lidar com o meu tónico - que gosto sempre de aplicar com discos de algodão. Até que a Carla da Lua Tangerina me falou de uns discos que existiam à venda no jumbo, biológicos e baratos. E não é que era verdade? Setenta discos de algodão desmaquilhantes biológicos, com o símbolo EcoCert e pela modéstia quantia de 1,29€. Um "achado" que certamente é para manter!

2) Sabonete de Algas e Argila ~ Eu já falei mil vezes aqui dos produtos da ArteSana, quem lê este blog já deve estar "farto" de ouvir a mesma coisa, mas a verdade é que não dá para não falar dos produtos da Susana! Desta vez pedi-lhe um sabonete bom para eu lavar a cara, sabendo que a minha pele tinha tendências acneicas. Trouxe para casa o de Algas e Argila, com um cheirinho a "pureza" sinto que a minha cara fica realmente limpa sem ser excessivamente. Uns dias lavo só com o sabonete outros uso só a esponja Konjac, outros uso as duas. E a minha pele está cada vez menos "irritada". O sabonete custou entre 3 a 4€ e para quem é do Porto acho uma visita ao atelier da Susana completamente obrigatória.

3) Desodorizante de Rosas ~ A história deste desodorizante é maravilhosa! Conheci a Paula, que é o rosto da BioMio, no mercado da Alegria, voltei a encontrá-la no Eco Porto e foi no Cidade+ que resolvi trazer este desodorizante comigo. Eu ando sempre com um desodorizante na mala (não vá o diabo tece-las!). Então andava à procura de um desodorizante líquido visto que o que eu faço é sólido. Este não é para transpiração excessiva mas funciona perfeitamente em caso SOS. Afinal era também para isso que eu o queria. Tem um cheiro divinal a rosas, custou-me 3,5 e nunca mais saiu da minha carteira. 

4) Blemish Stick de Tea Tree ~ Já vos tinha falado aqui que tinha começado a usar Tea Tree Oil para o meu acne (isto de ter deixado de tomar a pílula deu cabo da minha pele de boneca de neve). Os resultados foram visiveis e estou bastante impressionada. Até que vi este blemish stick da Dr. Organic no Celeiro, fui pesquisar e pareceu-me ideal. É prático: em stick e fluído - como se fosse um gel. Na sua composição tem o tea tree oil mas também aloe vera. Tornando-se uma solução fresca e refrescante, suave e invisível, que poderá ajudar a limpar e tonificar a pele. Em comparação ao óleo de tea tree o cheiro deste stick é bastante melhor! Comprei em promoção no Celeiro por 5.88€.

5) Lenços de pano ~ Simples e eficaz quanto: lenços de pano. Se são como eu semi-alérgicas a ar condicionado percebem a necessidade de andar sempre com um lencinho atrás de vocês. Posto isto, deixei-me dos lenços de papel e voltei aos de pano. Estes, sinceramente tinha cá em casa. Mas acredito que se venda em qualquer loja adequada. E porque não fazer os nossos próprios lenços com lençóis velhos? Fica a dica... Afinal quem disse que era caro ser sustentável?! 


Um xi- sem crueldade, biológico, 
100% biodegradavel e só com produtos naturais, 
Mariana.

Voluntariado

Vila Real Zen como voluntária! {Amigos do Ziki}

quarta-feira, agosto 03, 2016

{instagram: @mmariana.neves}

Para quem não sabe, Vila Real foi a minha casa durante três maravilhosos anos. Os anos da minha licenciatura mas também os anos em que explorei mais aquilo que a vida tinha para me oferecer. Revejo esta cidade como um quadro que temos em nossa casa há muito tempo: passem os anos que passarem ainda vai ser a nossa paisagem favorita e esse quadro vai assistir ao decorrer de toda uma vida. Sei que Vila Real vai ser uma visita recorrente e que me verá sempre a crescer. 

Por isso quando vi que se ia realizar o Vila Real Zen decidi que era a forma ideal de fazer a minha primeira aparência pública como a mais recém voluntária da Escutar (uma associação associação sem fins lucrativos para a promoção da saúde mental). Assim dia 20 de Julho lá fui eu (mais outra voluntária), para o meu sítio favorito: o parque Corgo, com a barraca dos Amigos do Ziki. Devo-vos dizer que foi a primeira vez que estive do "lado de lá", do lado das barracas e não podia ter sido melhor. Mas primeiro deixem-me apresentar o programa Amigos do Ziki: 

O Amigos do Ziki tem como objetivo capacitar as crianças para manterem uma boa saúde emocional e mental ao longo da vida. Destina-se a todas as crianças e não só àquelas que são consideradas de risco. É aplicado no pré-escolar (5 anos) pelo educador na sua sala, o qual recebe formação e acompanhamento para o fazer. Através de histórias e atividades desenvolve com as crianças a capacidades sócio-emocionais. Este programa é recomendado pela Organização Mundial de Saúde e já foi aplicado com mais de um milhão de crianças em 31 países de diversos continentes. Estamos a trazer este programa para Portugal (o que é maravilhoso!!!) sendo que no ano letivo de 2016/2017 já vai ocorrer em várias escolas do País.

Estar a defender um programa que me diz tanto não só a nível profissional como a nível pessoal faz-me sentir orgulhosa. Pela ideia e pela equipa que o dinamiza (que é fantástica, mas é segredo). Por isso o dia em que sai à rua para divulgar este programa foi um dia marcado por grandes sorrisos, conversas e muita boa energia.

Começou logo por termos a nossa barraca à beira da escritora Isabel Santos Moura que escreveu três livros maravilhosos "Índigo e Cristal, os meninos que vieram das estrelas", "O anjo Gabriel, o Miguel e o livro de papel" e o mais recente: "Mikao e o mistério das mãos que curam". São livros fantásticos e com uma sensibilidade de outro mundo. Foi gratificante passar um dia ao lado dela e da sua mãe, a companhia não podia ser melhor.

Mas na realidade Vila Real foi também matar saudades: da Mariana da Lua de Alecrim, da Clara e a Mariza da Riaviver, e de umas caras lindas que fui reencontrando e abraçando pelo dia fora. E, este foi mais um dia, em que senti que tudo se encaixa perfeitamente.


"Faz o bem e o resto vem".

Amigos do Ziki -  como contactar:
E-mail:  geral@amigosdoziki.pt

Minimalismo

Organização, foco e nada mais.

terça-feira, agosto 02, 2016

{Retirado daqui}
Quando iniciei a minha vida de adulta foi também quando comecei os meus passos no que toca à organização, ao foco e ao minimalismo. Será escusado dizer que li o blog da Rita "The Busy Woman and the Stripy Cat" uma série de vezes: do inicio ao fim. Li também alguns livros e alguns blogs. E assim fui dando os primeiros passos: uma mudança aqui, outra acolá. Até que cheguei ao exacto momento em que estamos agora. Vinte e dois anos e completamente fã de uma vida organizada, focada... mas também relaxada!

Vou admitir que também sou fã da proscastinação. Como portuguesa e mulher que sou há duas coisas que me são típicas: faço várias coisas ao mesmo tempo e sempre em cima da hora (e às vezes do joelho). A segunda forma de reagir perante as tarefas do dia-a-dia não é de todo a minha favorita. E ando a tentar mudá-la. Mas vou-vos ser sincera: fugir dos planos é demasiado fácil para mim. Por isso é que só me faz sentido a organização andar de mão dada com a determinação.

Percebi que as coisas comigo funcionam muito bem se eu determinar os meus objetivos claramente (mesmo os mais desnecessários como fazer esfoliação à segunda-feira) e manter tudo à minha volta organizado. Com isto quero dizer: a minha produtividade dispara em flecha se tiver o quarto arrumado, as ementas delineadas, a roupa passada, o e-mail sempre arrumadinho... e por aí em diante. Claro que há dias em que não dá para ter tudo perfeito, até porque somos seres humanos. Mas uma pessoa vai tentando e lá vai conseguindo. Para mim, são pequenas atitudes, que se transformam num bem maior. Sim, organizar a emente tira-me tempo do meu dia, passar a roupa toda de uma vez também, bem como tudo o resto... Mas o tempo que ganho, a qualidade de vida que ganho é bastante superior. E afinal, é disso que estou a falar: qualidade de vida. Conseguir fazer mais, aproveitar mais, viver mais. 

Este final de Junho/ início de Agosto foi a verdadeira barafunda para mim. Andei a fazer voluntariado em eventos de sustentabilidade, inscrevi-me como voluntária em dois projectos, viajei e no meio de tanta coisa nova a aparecer, às vezes custa manter-nos em equilíbrio. Como quando estamos a fazer a postura da árvore (no yoga) e não paramos de cair, mesmo quando tudo o que queremos é estar alinhados. 

Às vezes ajuda-me respirar. Outras vezes escrever sobre a importância que a organização e a determinação têm na minha vida, basta-me para o "sininho da consciência" ser ativado. E isto, foi o que me ajudou por hoje. E a vocês... o que ajuda?

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá