Leituras

{Diário da Nossa Paixão.}

domingo, setembro 30, 2012

“Foi à tardinha, com pinceladas de vermelho a cortar o céu de Verão, e os despojos do dia a desvanecerem-se. O céu estava a mudar lentamente de cor e, enquanto observava o Sol a descer, lembro-me de ter pensado naquele momento breve e súbito em que o dia de repente se torna noite. O crepúsculo, apercebi-me então, é apenas uma ilusão, porque o Sol ou está acima ou abaixo do horizonte. E isso significa que o dia e a noite estão ligados de uma maneira como poucas coisas o estão - não pode haver uma coisa sem a outra, porém não podem existir ao mesmo tempo. Como seria a sensação, lembro-me de perguntar, de estar sempre juntos, porém para sempre separados?”

Reflexões

Em tempos de paz mostram-se as armas.

segunda-feira, setembro 24, 2012

       
      Todo o mundo tem uma arma certo? Todo o mundo quando a coisa está pior que ovo podre tira do bolso algo que o protege e o faz enfrentar tudo, não é? Pois, creio que sim. Hoje sem mais nem senão vou-vos apresentar a minha arma: pensamentos positivos e força de vontade. Em verdade vos digo, ontem não foi um dia muito famoso. A febre voltou a atacar-me e passei as 24h na cama no leito da minha cama - e a chuva desta vez não ajudou muito... Foi um dia ... como é que se diz? Deprimente, acho. Mas ontem quando me fui deitar disse para mim mesma: Mariana, amanhã vais acordar e vais fazer com que o dia te corra bem. E assim foi.
      Acordei com os primeiros raios de sol, tomei o pequeno almoço, vi as noticiais, e duas horas antes das minhas aulas começarem sai de casa e fui dar uma caminhada até chegar à Universidade. Na caminhada senti um dos meus cheiros favoritos - ao da terra molhada e de folhas de eucaliptos. O sol brilhou e senti imensa alegria por me encontrar receptiva aos seus raios. Coisa que por coisinhas de nada não acontece sempre, não é? Burrice tua, Mariana! O dia continuou e com calma lá fui fazendo o meu sorriso aumentar mais. De tarde com chá de morango na janela e incenso a vaguear pelo quarto as minhas "manas" estiveram cá e foi daquelas tardes em que - mais uma vez - perdemos as horas no seu curso. E assim se foi movimentando o dia, numa aragem limpa. E agora que ele está quase a chegar ao fim, sei que amanhã vai ser um dia ainda melhor. De certeza - não fosse essa a minha arma. 

Leituras

{..}

domingo, setembro 23, 2012

«Há tanto que eu não digo, que eu não te disse... E esta ausência incomoda-me. E este incómodo "nasce não sei de onde" e "dói não sei porquê". Espero que o ácido da minha voz não te tenha queimado a pele, com o tempo comecei a dominar a arte de levantar muros e de me prender dentro de mim própria. Mas sinto que preciso de dizer e por isso digo. Desculpa. Desculpa a minha ausência. Compreendo-te agora enquanto me debato com a tua. Às vezes faço de conta que te sentas ao meu lado e ficamos só a ver o mundo passar à nossa frente. Às vezes faço de conta que sei ver. Deixa que segure a tua mão. Não é fácil caminhar ao meu lado, acompanhar o meu ritmo. Se dás um passo à frente eu dou dois atrás, mas não quer dizer que não queira continuar a andar. Sinto que preciso de dizer e por isso digo. Quero continuar a caminhar. Não vou dizer já o que o meu peito berra aos meus ouvidos. Levo o meu tempo a ouvir-me. O impulso é algo que não existe no eu sóbrio. Diz-me, que dor te impus para que tivesses de me apagar? Sou um ser egoísta... Não somos todos? Há tanto que quero dizer e não digo, mas se disser agora será que me ouves?»
 Retirado daqui.

Yoga

"Aproveite para sorrir mais, abraçar mais, viver mais."

quinta-feira, setembro 13, 2012


      Lembram-se da última vez que vos falei aqui sobre sonhos e de que a partir de agora iria largar os meus das gavetas? Apesar de me estar a referir a um sonho mais especifico quando escrevi o texto, a atitude que tomei perante a minha vida desde aí fez com que ocorressem uma série de modificações. Uma delas foi: finalmente inscrever-me nas aulas de yoga. Já desde 2009 - mais coisa menos coisa - que o bichinho do yoga se começou a apoderar de mim. Contudo tudo o que tive foi umas aulas grátis de lés a lés. Nunca me prontifiquei a realmente inscrever-me e a saber mais. 
    Até que esta semana, tomei a decisão de me inscrever. E hoje tive a minha primeira aula. Bem, acho que não me podia sentir melhor. Aposto que amanhã não vou aguentar de dores musculares, mas isso nem me importa (na verdade, até gosto). Foram quase duas horas somente em mim: no meu estado físico e psíquico e em todas as energias que ainda tinha reservadas em mim para espalhar pelo Universo. É engraçado que ali nem me lembrei da crise, ou de qualquer outro problema que me estivesse a afectar. Ali só me lembrei do quanto ainda tinha de mim para dar ao mundo. A quantidade de energia que havia dentro de mim e que eu nem sequer me lembrava disso diariamente. Sai de lá cheia de vontade de abraçar, sorrir e aproveitar muito mais esta oportunidade que me está a ser dada!
     E para quem tem a ideia que yoga é só "levitações" ou relaxamento, devia experimentar pelo menos uma aula. Aposto que mudam totalmente de opinião e quiça começam a gostar.

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá